Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2015

Mais desilusões

Não pensei estar a escrever sobre este assunto tão cedo. Já me tinha mentalizado que por uns tempos iria focar-me apenas em mim, na minha recuperação, no meu bem estar e na tentativa de atingir o tão desejado equilíbrio emocional e psíquico. De parte iria colocar a procura do amor, do tal companheiro e amigo, procura esta que só me e tem trazido dor e sofrimento. Incrível como tenho atraído para a minha vida pessoas mal formadas, sem valores morais, que aparentam ser uns cordeirinhos mas que na realidade são lobos maus bem disfarçados dos quais só descubro a máscara e as suas verdadeiras intenções quando já não há muito a fazer, quando já me magoaram e pisaram. Resolvi colocar de lado as minhas renitências e dar uma hipótese a quem parecia ser realmente uma boa pessoa, demonstrando estar sempre presente e atento. Por momentos pensei que afinal ainda existem boas pessoas, que talvez devesse baixar a guarda e dar uma hipótese para essa pessoa entrar na minha vida. E assim o fiz! Abri a…

Blá, Blá, Blá... Só desculpas!

Sim, é verdade! Estou cansada de desculpas esfarrapadas, das habituais frases cliché que todos nós já sabemos de cor e salteado porque também já as usamos em determinado momento das nossas vidas. Com o passar dos anos e depois da entrada nos 35 coloquei de lado o extensivo cardápio das desculpas e passei a assumir sem medos aquilo que sinto e penso. Se não me apetece sair ou estar com aquela pessoa digo-o, tentando sempre ser cordial e nunca a magoar, mas deixando de parte a dita lista de desculpas. Já não as suporto e muito sinceramente magoa-me mais uma dessas desculpinhas do que a verdade nua e crua. Prefiro ouvi-la, levar o tempo necessário para a digerir, até deitar fumo por todos os orifícios se for necessário, do que saber que me estão a mentir, a fazer de mim otária, como se eu fosse tão patetinha que não me apercebesse da realidade. É gozar com a minha inteligência, só pode! Já não aguento mais esta ausência de frontalidade e sinceridade em algo tão banal, porque não assumir…

E tu como te sentes?

Sinto-me triste. Triste por ver que, por vezes, me expondo demasiado nas redes sociais e que há quem acabe por se aproveitar das fragilidades que posso demonstrar. Por norma sou uma pessoa bastante reservada, que dificilmente se abre ou se sente apta e à vontade para o fazer com outra pessoa, mesmo com amigos de longa data. Talvez por me querer proteger, para evitar reprovações ou julgamentos, por vergonha, por medo... Das poucas vezes que o faço mais tarde acabo por me arrepender, por ver que me revelei, que mostrei o meu "verdadeiro eu" à pessoa errada, a quem não o merecia e que utilizou essas mesmas fragilidades e sensibilidade, muitas das vezes carência, para obter aquilo que desejava. Creio que caio neste erro recorrentemente nomeadamente no que diz respeito ao sexo oposto. Têm sido desastres consecutivos, desilusões umas atrás das outras, que vão deixando dor, mágoa e muita descrença quer em mim, por me achar incapaz de atrair a pessoa certa, que me ame e respeite tal…